Opinião

O Trem das Evidências, 20 anos depois

Penha: falta de abertura à conversação mata as empresas